Reestabelecimento


Após a amarga 11ª colocação na temporada 2015/2016, a segunda força de Liverpool decepcionou os torcedores mais uma vez ao ter feito menos que o bom elenco é capaz de fazer, o que culminou na saída do treinador espanhol Roberto Martinez do comando dos Toffees. Para seu lugar, chega a lenda holandesa Ronald Koeman, que vem de duas ótimas temporadas com o Southampton.

Mantida a base da temporada 2014/2015, com alguns reforços como o zagueiro argentino recém-campeão da Libertadores Ramiro Funes Mori e o retorno do promissor Deulofeu, a equipe de Merseyside apresentou um bom futebol do meio pra frente, mas acabou tendo problemas no setor defensivo e com lesões, como a do lateral-esquerdo Leighton Baines, que já havia ficado fora dos gramados durante um certo período na temporada anterior, também por lesão.  Apesar de não ter terminado a temporada da maneira esperada, alguns jogadores em especial tiveram destaque, como por exemplo Romelu Lukaku que terminou como o artilheiro da equipe e um dos artilheiros da Premier League, marcando 19 gols, Deulofeu que serviu competentemente o centroavante belga, sendo um dos principais jogadores do time durante o segundo semestre de 2015 e Ross Barkley, que teve outra boa temporada, mostrando que tem tudo para alcançar seu potencial. Um ponto positivo foi ter alcançado as semifinais da FA Cup e da Capital One, sendo eliminado pelas duas equipes de Manchester, United e City respectivamente. Isso que mostra a força de Roberto Martinez quando o assunto é mata-mata.

A temporada 2015/2016 determinou o fim do ciclo de alguns jogadores importantes na história recente da equipe, como o ídolo Tim Howard que saiu do time para voltar a sua terra natal para disputar a MLS após 10 anos no gol dos Toffees, onde esteve entre os melhores goleiros da Inglaterra nesse período. Outros 3 significantes jogadores deram adeus ao clube, como Tony Hibbert que jogou todos os 16 anos de sua carreira pelo clube, Leon Osman que assim como Hibbert também foi revelado pelo clube e jogou por lá durante 16 anos, desses 16, passou 2 anos emprestado em equipes menores da Inglaterra, e Steven Pienaar que chegou a ser um dos principais jogadores do clube no início da década.
Ídolo, Tim Howard encerrou um longo ciclo na meta do Everton.

Ronald Koeman terá pela frente uma missão relativamente complicada, trazer a equipe do Everton de volta para a primeira parte da tabela, brigando por competições europeias. Nas últimas 9 temporadas, ficaram acima da 8ª posição em 7 delas, 6 sob o comando de David Moyes. Para isso, Koeman trouxe com ele o experiente goleiro holandês Maarten Stekelenburg, que estava no Southampton, e que foi titular na campanha do vice-campeonato da seleção holandesa na Copa do Mundo de 2010. Outro reforço comemorado pelos torcedores foi o volante senegalês Idrissa Gueye, um dos poucos jogadores que se destacaram durante a pífia campanha do Aston Villa na temporada passada, sendo o segundo jogador que mais desarmou na Premier League, atrás apenas de N'Golo Kanté.

Além dos citados, quem também chega é o atacante suíço Shani Tarashaj, que já havia sido anunciado pela equipe no final de 2015, mas só se apresentou em julho desse ano após o término de seu contrato com a equipe suíça do Grasshoppers. Koeman não deverá ter muitos empecilhos com o esquema tático da equipe, já que assim como Roberto Martinez, também utilizava da formação 4-2-3-1 no período em que esteve comandando o Southampton.
A chegada de Gueye foi bastante comemorada pelos torcedores.

A baixa mais sentida fica por conta do jovem zagueiro Stones, que deixou o clube recentemente como o mais caro da história na posição. O defensor inglês vinha sendo ventilado em todos os gigantes da atualidade, mas acabou optando pelo Manchester City de Guardiola. O dinheiro em caixa já surtiu efeito e a reposição foi rápida. O bom defensor Ashley Williams já desembarcou em Goodison Park e chega para manter o bom nível na posição. Outro que pode chegar com a verba é Bolasie, do Crystal Palace, que parece muito próximo de trabalhar com Koeman.

Podemos dizer que os torcedores devem esperar algo melhor do que aconteceu na temporada passada, mas não tanto, já que o equilíbrio financeiro que os times da Premier League alcançaram trouxe um equilíbrio dentro de campo, o que dificulta um pouco mais a luta dos Toffees, sem contar com a provável saída de Romelu Lukaku. Axel Witsel vinha sendo especulado como um possível reforço, mas é provável que seu destino seja outro. Com certeza Ronald Koeman terá um tremendo desafio, e certamente, a concorrência estará mais forte do que nunca.
Compartilhar: Plus